Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

25/11- Dia internacional da NÃO violência contra a mulher.

25/11- Dia internacional da NÃO violência contra a mulher.

(Inicialmente, crônica a parte, hoje era dia do meu adorável "sextiano" e ele não pode vir. Restou-me lamentar a sua ausência.)

Retornei ao facebook, afinal não devo nada à ninguém, coincidentemente, hoje, dia de meu retorno é o dia internacional da não violência à mulher e, ano passado, postei a foto abaixo com a respectiva sincera e dolorosa legenda:


"Em homenagem a todas as mulheres neste dia da não violência. Tive uma única relação abusiva. Infelizmente com o cara por quem, pela inexperiência, mais me apaixonei. O abusivo é como um predador! Ele escolhe a presa mais frágil, mais entregue! E o abusivo se apaixona, mas ele não sabe amar, nunca saberá! Ele quer o que ele quer e quer fazer de você um joguete. Acontece que os abusivos não ficam com mulheres fortes. Eu era uma jovem de vinte e tantos, filha única, carente pelo divórcio dos pais, valorizava mais o lado afetivo do que o profissional (sim, eu ja estava formada!). O abusivo usa de suas próprias crenças contra você! Se você é kardecista e ele gritar com você, lhe empurrar ou tentar lhe estrangular ele dirá que esteve sob influência de "maus espíritos". E vai chorar, lamber os seus pés e pedir perdão. Ele descobre seus pontos fracos e lhe manipula. E não, você não gosta de apanhar ou ser humilhada, você é só uma mulher apaixonada, com a auto estima estraçalhada e com dependência emocional. Você não é uma insana ou uma doente."

HOJE, PORÉM, RESOLVI FAZER UM ADENDO AO TEXTO ESCRITO EM 25/11/15:

E neste dia, este post é pertinente, mas, "falarei" melhor: o abusivo não precisa ser o namorado, o parceiro, o marido. 
Mas o cara que te faz pedir perdão mil vezes pela mesma coisa e, ainda assim, não demonstra solidariedade e afeto. Ele pode ser o que fere o seu ego, o que engana, o que não sabe falar a verdade e jura que faz isso por piedade, não por egoísmo ou covardia. 
O que sente ciúme de quem é livre, bate, chacoalha, empurra e frente à um pedido de socorro lhe chama de insana. 
O abusivo pode ser o cara que "compara" uns tapas que tomou de um ser com 57 Kg, com empurrões, tapas nos ouvidos e chacoalhadas tomados por uma mulher de um homem com 90 Kg. O abusivo é o que não tem empatia e compaixão. 
Mais, "o abusivo" pode ser a mulher que acha justificável a agressão à outra, a defasada intelectual que diz que ela "pediu" pra apanhar, porque estava alegre. 
Abusivo é quem acha que a mulher agredida por quem conhece há meses não foi "precavida" o suficiente. Abusivo é quem não sabe nada das suas dores, mas insiste em lhe julgar como se você fosse a capa de um livro ou sinopse de um filme. 
Abusivo é quem não sabe nada dos seus traumas profundos e os malbarata, afinal, "quem é você mesmo?!". Pra ele, ninguém. Para o mundo e para a sua vida, tudo. A única pessoa capaz de lhe tirar da lama em que o machismo, a ignorância, a misoginia e o egoísmo alheio lhe inserem. Sim, a única!

Cláudia de Marchi
Brasília/DF, 25 de novembro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário